Patologia Renal

Todos os Exames

A ESPECIALIDADE

A biopsia renal é uma das ferramentas mais importantes no manejo de pacientes com doença renal aguda ou crônica. Seu papel é fornecer diagnóstico que permita ao clínico estabelecer prognóstico e promover terapêutica para lesão específica.

A PATOLOGISTA

Dra. Elissa Oliveira da Fonseca, responsável pela Patologia Renal no Fonte M.D., tem interesse pela nefrologia desde sua graduação. Durante a residência médica teve a oportunidade de aprofundar seus conhecimentos unindo clínica e patologia, além de ter estudado glomerulopatias em centro especializado nos EUA. Seu mestrado também teve como foco a patologia renal.

E-mail para contato:
elissa@fontemd.com.br

 AS TÉCNICAS

Para a microscopia de luz, o tecido é submetido a cortes finos (2µm) e corado com: hematoxilina e eosina, prata metenamina, tircômico de Masson e ácido periódico de Schiff.

Para a imunofluorescência, o tecido é congelado aplicados os seguintes anticorpos primários: IgA, IgM, IgG, C1q, C3, Kappa e Lambda.

Com esse painel, é possível abrangir grande parte das doenças glomerulares, tubulointersticias e/ou vasculares, detectando local, padrão morfológico e intensidade de deposição de imunocomplexos, além de fatores do sistema complemento e cadeias leves de imunoglobulinas.

Nos rins transplantados, além do painel básico citado, é incluído anticorpo anti C4d ao painel de imunoflurescência, visando corroborar o diagnóstico de rejeição humoral.

DESAFIO DA ESPECIALIDADE

A interpretação de biopsias renais é desafiadora e ao mesmo tempo recompensadora. Ela envolve o conhecimento de diversos padrões morfológicos que podem ser vistos em uma mesma doença ou mesmo um padrão associado a múltiplas doenças. Quando os conhecimentos funcional e clínico se unem à detecção de tais padrões, o paciente é o grande beneficiado. Por isso, a comunicação entre nefropatologista e nefrologista é fundamental.

MISSÃO

Fornecer rápida orientação diagnóstica (relato verbal ao clínico responsável precedendo o laudo final) e estar acessível para posteriores discussões dos achados.

Fragmentos geralmente provenientes de biopsia por agulha são alocados em dois frascos: um contendo formol para colorações e outro contendo meio de transporte de Michel para imunofluorescência.

Para maiores informações, consulte-nos por telefone.

Em Breve

Em Breve

Em Breve